Minha experiência com o sistema de saúde na Índia.

Até hoje eu precisei me consultar apenas duas vezes com médicos na Índia, e os encontrei através de um aplicativo chamado Practo. Neste app você escreve a especialidade do médico que esta precisando e ele te informa quantos anos de experiência tem o médico, fotos do consultório, preço da consulta, e comentários de outros pacientes que foram atendidos pelo mesmo.

Há hospitais públicos que não cobram nada da população, mas mesmo os privados as consultas são bem baratas ao comparar com o Brasil. Por exemplo, uma consulta cara por aqui sai em torno de USD 10 (dez dólares). Recentemente fui ao Dermatologista e a consulta saiu por USD 4,40 (quatro dólares e quarenta centavos).

Os remédios também são baratos. No último mês de março eu completei 6 anos na Índia, e no início eu trazia todos os remédios do Brasil, porém hoje em dia eu adquiro tudo por aqui mesmo.

Um fato engraçado é que na consulta com a Ginecologista é comum eles pedirem para você preencher um formulário o qual possui um espaço para adicionar o nome e telefone do seu marido ou do seu pai. Por a Índia ainda ser muito conservadora quando o assunto é sexo, não é normal meninas solteiras visitarem a Ginecologista antes de casar.

Uma rede de hospitais muito boa é o Fortis: Lembram do casal do site Viajo Logo Existo que eu os recebi na minha casa? Quando eles chegaram em Jaipur a coluna do Leonardo estava muito dolorida, por dirigir várias horas seguidas, e por isto fomos até este hospital. Chegando lá o Leonardo fez vários exames e o valor de tudo ficou menor do que a quantia que ele teria que pagar da franquia se acionassem o seguro internacional de saúde (cerca de USD 200), e por isto ele achou melhor pagar por aqui mesmo o total final de todos os exames e consultas.

Tenho amigas que fizeram o seguro saúde de viagem, no Brasil, para virem passar uma temporada na Índia, e elas tiveram problemas e foram bem atendidas e reembolsadas. Eu super aconselho que façam mesmo, se o período não for muito grande, como é o meu caso. As famílias estrangeiras que moram aqui por um longo período de tempo não costumam fazer, por conta do sistema de saúde ser barato, caso precisarem.

Anúncios

Alguns dias em Kuala Lumpur

Sei que a passagem do Brasil para a Índia esta cada dia ficando mais cara, por isto eu sempre aconselho àqueles que puderem aproveitar que já estão deste lado do mundo a esticarem a viagem um pouquinho mais…rs, e explorar novos países. Os destinos mais comuns e tranquilos em minha opinião seriam Bangkok (com alguns dias nas famosas praias da Tailândia), Bali, Cingapura, Katmandu, e agora posso também sugerir Kuala Lumpur, pois recentemente estive na capital da Malásia por alguns dias.

Eu comprei a minha passagem saindo de Jaipur (ida e volta) por menos de R$ 500,00 através da AirAsia.

Eu fiquei hospedada em um complexo de apartamentos chamado Regalia Suites & Residences. Neste prédio tinha academia, mercado (pequeno, mas com tudo o que precisávamos), restaurante, cafeteria e uma piscina com uma vista maravilhosa.

Quarto/Flat que ficamos hospedados no Regalia Suites & Residences

Neste post vou escrever os 8 lugares que mais gostei em KL:

  1. Petrona Twins Tower: mesmo que você decida não subir até o topo vale a pena conhecer e tirar algumas fotos – este é o famoso ‘cartão postal’ da cidade;
  2. Batu Caves: próximo a este ponto turístico tem um restaurante com comidas típicas do sul da Índia que é muito conhecido – se chama Rani Villas – a comida típica do sul da Índia era uma delícia;
  3. KL City Gallery e Merdeka Square: no mesmo quarteirão destes dois lugares há um prédio onde consta o Museu dos Tecidos e Acessórios típicos da Malásia – super compensa conferir se você gostar ou trabalhar nesta área – a entrada é de graça;
  4. Bukit Bintang: trata-se de uma região cheia de shoppings com marcas famosas;
  5. KL Bird Park: é lindo caminhar ao redor dos pássaros soltos no parque;
  6. Tapak Urban Street Dining: ambiente super agradável, cheio de food trucks com várias opções de comida;
  7. Heli Lounge: trata-se de um bar que fica no heliponto de um prédio. Nunca havia pisado em um heliponto – foi uma experiência nova para mim; e,
  8. Piscina do edifício Regalia Suits – a vista é fantástica – para utilizar a piscina você precisa estar hospedado no condomínio.

Petronas Towers – Foto por Camila Pimenta

Batu Caves – Foto por Camila Pimenta

Museu dos tecidos e acessórios típicos da Malásia

Dentro do KL Bird Park

Dentro do KL Bird Park

Dentro do KL Bird Park

Heli Lounge in KL

Heli Lounge in KL

Piscina maravilhosa no Regalia Suits

Em Kuala Lumpur não há Uber, sendo assim aconselho a baixar um aplicativo chamado GRAB. Ele funciona MUITOO bem, neste app há messenger para que possamos nos comunicar com o motorista através de mensagens. Também gostei do fato de ter tido oportunidade de pegar a corrida com várias mulheres locais. Mesmo a Malásia sendo um país de predominância muçulmana, KL é uma cidade muito cosmopolita.

Sobre a alimentação: há vários tipos de restaurantes em KL, e muitas franquias de redes internacionais, porém eu escolhi ir em um restaurante tradicional, onde encontraria apenas comida típica da Malásia – bom, como devem já perceberem, por não estar no meu top 8 de lugares para visitarem, não foi um lugar que gostei muito. Tinha muitaaa opção de comida, e custou 50 MYR por pessoa. De todas as opções que eu experimentei em Kuala Lumpur, de pratos típicos, a única que eu gostei foi Nasi lemak.

Eu e o Dilip ficamos 5 dias nesta cidade, e gastamos com TUDO o total de 70 mil rúpias (passagem, valor do visto para ele, hospedagem, alimentação, táxis, passeios e etc) – cerca de USD 1.050,00. Isto porque não estávamos super economizando.

E você? Já esteve em Kuala Lumpur? Se sim, me conte nos comentários se tiver alguma dica. Pretendo visitar esta cidade novamente em breve. 🙂

Companhias aéreas na Índia

Há várias companhias aéreas para voos domésticos por aqui, para quem decidir utilizar avião ao invés de trem, carro ou ônibus. As duas empresas que eu mais utilizo se chamam INDIGO e Jet Airways. O motivo de eu sempre escolher estas duas é porque são as que menos me deram dor de cabeça com atrasos até hoje.

Além destas há Air India, Spice Jet, GoAir, Vistara e AirAsia:

  1. Air India é boa, mas todos os aviões que eu utilizei até hoje eram bem antigos. Mas se você é membro Star Alliance, voar com esta companhia seria uma boa opção para acumular mais pontos no seu cartão;
  2. Já a Spice Jet eu só tenho experiências ruins. Todos os voos que eu fiz com esta companhia atrasaram muito e alguns foram cancelados;
  3. A GoAir e Vistara eu nunca utilizei, por sempre estarem com as passagens mais caras; e,
  4. AirAsia não é uma empresa indiana, mas possui voos MUITO baratos dentro e para fora da Índia! Recentemente comprei uma passagem para Kuala Lumpur, saindo de Jaipur, por cerca de R$ 550,00 (de ida e volta), e sempre há no site deles ofertas excelentes, porém, há também os pontos negativos com esta empresa: Já que o voo é barato eles cobram TUDO que podem extra, como por exemplo, comida e até mesmo água, cobertor (mesmo nos voos longos, de mais de 6 horas de duração), mala que for despachada – podem reparar que todos estes voos com preços bons permitem o passageiro a carregar com ele apenas 7 Kg dentro do avião, e não despachar nada. Caso você tenha que despachar aconselho a comprar online antes, porque na hora o valor da mala é mais caro que o valor da passagem (#juro).

Aviões da empresa AirAsia – Now everyone can fly – foto por Camila Pimenta

Informações importantes:

Os voos domésticos comprados com antecedência podem ser bem baratos, mas nunca vi um voo sair mais em conta do que uma passagem de trem, como às vezes ocorre nos Países Europeus.

Não é permitido entrar nos aeroportos na Índia sem um comprovante da compra da passagem aérea. Ou seja, sempre carregue com você este comprovante mesmo que seja no celular, para conseguir acessar a parte interna do aeroporto.

Já comentei aqui no blog antes, mas vale compartilhar novamente: o site que eu mais utilizo para compras de passagens é o Make My Trip.

……

Você que esta lendo este post já viajou com alguma destas empresas, e tem alguma experiência para compartilhar? Nos conte aqui nos comentários. 😉

Viajo Logo Existo

Vocês conhecem o casal do Viajo Logo Existo, Léo e Rachel?

Eles estão viajando pelo mundo desde 2013. Até o momento são 93 países visitados por eles.

O projeto é muito legal e eles estiveram na Índia em 2016, inclusive passaram alguns dias na minha casa. 🙂

Acabei não postando aqui no meu blog antes, porém antes tarde do que nunca, não é mesmo? Rs…

Foi muito interessante recebê-los e escutar as histórias deles. O carro com placa de São Paulo foi uma atração no prédio em que vivo…rs.

Marcela, eu e Rachel, conhecendo o carro deles.

Carro do Viajo Logo Existo – no ano passado eles venderam o mesmo e hoje eles permanecem viajando de avião

Carro do Viajo Logo Existo – no ano passado eles venderam o mesmo e hoje eles permanecem viajando de avião

Os dois livros que eles haviam escrito até 2016. No momento são 4 livros publicados.

A Rachel além de criar conteúdo para o projeto Viajo Logo Existo possui mais dois projetos: Mulher na Estrada e Viagem e Comida. Quando estávamos em casa ela me pediu para gravar os vídeos abaixo, para que eu pudesse contar um pouco sobre como é a minha vida na Índia.

Eu assisti os vídeos em 2016 e hoje acabei me lembrando sobre eles e achei legal compartilhar aqui no blog. 😉

Abraços a todos.