Mudança!

Acho que todo mundo sabe que fazer mudança é algo difícil, correto? Agora imaginem aqui na Índia!?

Já começa a maratona para encontrar um apartamento decente e que não te cobrem os “olhos da cara”… Sim, há apartamentos maravilhosos aqui, mas o aluguel sai cerca de mil dólares…valor que ainda não cabe no meu bolso…rs.

Acabei alugando um apartamento de dois quartos, dois banheiros, sala, cozinha, sala de jantar, e com sacada em todos os ambientes. Observação: é impossível encontrar em Jaipur apartamento de um quarto. Vi apenas aqueles que são todos os ambientes juntos, sala com cozinha, com cama no meio..mas não queria desta forma.

Entre as outras coisas difíceis está em comprar móveis para a casa (lembrando que também com o orçamento apertado), pois aqui não existe nenhum tipo de Casas Bahia ou Magazine Luiza…(Fica a dica de negócios para Você empreendedor…hehehe).

Só para Vocês terem uma noção, olhem só o tipo de cama que nos oferecem quando saímos procurar aqui em Jaipur…

Imagem

Enfim, posso dizer que é uma loucura encontrar algo, ainda mais quando várias pessoas desse meio, as quais te atendem, não falam inglês. Ou seja, eu dependo muito do Dilip neste ponto.

Estes últimos dias não foram nada fáceis… Apartamento que o dono demora a entregar pintado… Móveis que atrasam, e quando chegam vem com defeito…até para instalar internet é uma novela.

Lógica física de móveis baratos e bons não tem aqui em Jaipur…mas depois de pesquisar muito online, segue abaixo a lista de sites que me ajudaram a encontrar uns itens bacanas para a minha nova casinha – caso um dia Você que esteja lendo este post venha morar na Índia:

Conforme disse em um post há alguns meses: aqui não é igual ao Brasil, que várias pessoas se preocupam com a decoração e com móveis. Sim, na Índia eles fabricam coisas lindas, mas 95% são para a exportação.

Bom, espero que este apartamento traga muitas coisas boas nesta nova fase!

🙂

Anúncios

Anticoncepcional.

A palavrinha acima é desconhecida para muitas indianas – pelo menos para várias das que conheci até agora (me refiro às indianas de classe média baixa e com ensino superior completo).

Quando toquei nesse assunto com algumas, todas me falaram que nunca escutaram falar nesse remédio.

Pois é, infelizmente ir a um ginecologista antes do casamento é muito mal visto por aqui, e segundo o que foi me passado Você, mulher indiana, recebe um “passe livre” da sociedade, para realizar uma consulta, só após estar casada.

Ainda há falta de instruções nas escolas sobre métodos anticoncepcionais, por ser um assunto sensível por aqui.

Uma indiana me informou que para evitar engravidar ela fica de jejum durante um dia inteiro após o ato sexual e que no dia seguinte ela toma um condimento que se chama Turmeric. Quem repassou essa “dica” para essa minha conhecida foi uma tia, e que segundo ela tem funcionado muito bem até agora.

Por favor, não tentem isso em casa. Accha?

Curiosidades!

Vamos falar novamente de fatos curiosos da Índia?

Nessas duas semanas que estou de volta já descobri várias coisas novas.

Uma delas é que há três anos é extremamente proibido realizar ultrassom na mulher grávida, com o intuito de saber o sexo do bebê. O motivo? Há muitas famílias que não querem meninas, e por isso após saberem o sexo, realizavam o aborto. Hoje em dia se Você tentar pedir isso para o médico e, ou, suborná-lo, Você vai preso. E se o médico aceitar, e o Governo vier a descobrir isso, ele também vai preso e perde a licença dele para continuar a profissão.

Quando questionei o motivo das famílias preferirem terem meninos ao invés de garotas, obtive a seguinte resposta: “Porque eles gastam muito com o casamento (pois é a família da mulher que pagará tudo), dote e presentes para a família da noiva, mesmo após esta já estar casada”.

Abaixo um Outdoor o qual consta uma campanha para salvar os bebes do sexo feminino – neste está escrito: “Garotas trazem felicidade para o lar”:

Save girls

Outro fato curioso é que para Você tirar a sua licença de motorista daqui, se Você é indiano, o valor pago é de apenas 450 rúpias, ou seja, menos de 20 reais. Os indianos ficaram chocados quando mencionei o valor que pagamos no Brasil!