Ida ao hospital

Nessa última quinta-feira estive em um Hospital Indiano, para acompanhar minha amiga Mexicana que havia torcido o tornozelo e estava com receio de que este tivesse fraturado.

Nunca gostei de entrar em hospitais, mas tenho que confessar que quando ela me disse “Preciso ir para um hospital”, eu fiquei animada, pois desde que cheguei aqui eu estava curiosa para saber como o sistema de saúde funcionava.

Há um hospital bem próximo de casa, sendo assim, esse foi a nossa primeira escolha….e que péssima escolha…Havia apenas três pessoas dentro dele. Um telefonista, um enfermeiro e o médico (os quais todos tinham cara e roupas de telefonistas).

Quando entramos no recinto e falamos o que havia acontecido o enfermeiro nos encaminhou para a sala dos fundos, e cinco minutos depois o médico apareceu, com cara de que estava dormindo.

Ele nem encostou a mão na minha amiga para examiná-la e já escreveu uma receita dos remédios que ela tinha que tomar. E disse que não poderia fazer mais nada, pois eles não possuíam recursos para enfaixar o pé e etc., e que se ela quisesse ela poderia voltar no próximo dia.

Logo após nos entregar a receita ele voltou a dormir na recepção do Hospital, conforme foto abaixo:

Imagem

Na sequência chegou o enfermeiro na sala, o qual pediu para que pagássemos a consulta, no valor de 150 rúpias, o equivalente a R$ 6,00.

Por conta deste “ótimo” atendimento, resolvemos ir para outro hospital, o qual é bem maior, mas fica afastado de casa.

O médico desse segundo hospital a examinou e pediu um Raio-X, para ter certeza que ela não havia fraturado nada (tal aparelho era de um modelo pré-histórico, mas funcionou).

Esse hospital é público, sendo assim, ela não precisou pagar a consulta, os remédios, e nem o raio-x, mas apenas a  atadura de algodão, que precisamos comprar em uma lojinha na frente do hospital e trazer para o médico (Esta custou o equivalente a R$ 5,10).

Ambos os hospitais são MUITO sujos, sem lençóis limpos e as roupas dos enfermeiros e médicos, que supostamente deveriam ser branca, eram quase cinzas! Contudo, posso dizer que o atendimento desse segundo hospital foi adequado.

No outro dia o pé dela ainda estava dolorido, dessa forma um dos integrantes da AIESEC de Jaipur a levou em outro hospital, mas eu não estava presente, por estar trabalhando, e segundo ela, nesse hospital o atendimento foi muito melhor e o ambiente era muito mais limpo, porém ela precisou pagar.

Final da novela: Ela não havia quebrado nada, mas sim apenas torcido o tornozelo, e agora ela terá que ficar de repouso por um mês…

Observação: não fomos sozinhas para ambos os locais. Tinha um indiano com a gente, o qual é amigo de todos os estrangeiros de Jaipur. Sem ele não sei se teríamos conseguido, tendo em vista que os atendentes dos hospitais não falam inglês e esse indiano amigo nosso tinha que ficar traduzindo tudo.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Ida ao hospital

  1. Confesso que quao li o título a postagem me assustei… hospital, como assim?
    HAHAHAH.. que bom que o incidente não foi com você, menos mal! A moça mexicana está bem?
    Pelo que percebi existem duas “modalidades” de hospital, menos mal. Assim é possível escolher aonde ir!
    Esse indiano de quem você falou, ele mora com vocês? Sempre bom ter alguém que ajude por perto!!
    Beijão, se cuida.

    • Oi Pepe! Sim, ela está bem, de repouso.
      Pois é, existe hospitais privados e públicos, como no Brasil.
      Não, ele é mais velho, casado, mas é amigo de todos os gringos de Jaipur…rs
      Com certeza, é muito importante ter amizade com a população local.
      Beijos beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s